À Descoberta da Lisboa Judaica

lisboa judaica massacre de 1506 judeus

Conhecer a Lisboa Judaica

Hoje vamos conhecer a Lisboa Judaica. Aceitei o convite da Andreia Salvado da Oui Go Lisbon, uma empresa que organiza passeios com base em romances históricos. E a partir do Livro de Richard Zimler, “O Último Cabalista de Lisboa” vamos à descoberta da Lisboa de 1506 e das referências judaicas que fazem parte da cidade.

lisboa judaica massacre de 1506 judeus largo da igreja de são domingos

Embora o passeio tenha por base o livro, a sua leitura não é imprescindível para quem quer fazer o passeio. Eu por exemplo não tinha lido, mas o passeio despertou-me a curiosidade e acredito que aconteça o mesmo a quem faz o passeio sem ter lido o livro. Algumas pessoas que fizeram o passeio e já tinham lido o livro disseram-me que o releram antes do passeio, outras disseram que iam ler novamente. Por isso acredito que vos aconteça o mesmo. Assim que o passeio terminou fui à procura de uma livraria. E só descansei quando o comecei a ler.

Fazem ideia do que estou a falar?

Quantos de vocês já passaram pelo largo de são Domingos, em Lisboa e repararam na estrela de David? Sabem a que se refere este monumento? É o monumento em memória dos judeus assassinados durante os 3 dias de abril,  na Páscoa de 1506. O monumento fica perto da Igreja de São Domingos, no Largo com o mesmo nome.

lisboa judaica massacre de 1506 judeus estrela de david monumento largo da igreja de são domingos

Estrela de David

Pequeno Enquadramento Histórico

Estamos na Lisboa quinhentista, onde há uma profunda desigualdade social. Há peste, seca e fome. A igreja impõe a religião católica, e muitos Judeus foram obrigados a converterem-se ao cristianismo para sobreviverem, os chamados cristãos-novos. A comunidade judaica era auto-suficiente e vivia dentro das judiarias, a grande judiaria e a pequena judiaria.

lisboa rossio

Os frades da Igreja de São Domingues incitaram a população à violência contra os judeus, acusando-os pelas desgraças, como a seca, a fome e a peste. Num ato de intolerância, fanatismo e ganância. Estima-se que foram massacrados entre 2000 a 4000 judeus, no percurso que vai do Largo da Igreja de São Domingos até Alfama.

lisboa rua são joão da praça

O Passeio

O passeio tem cerca de 2 horas, ficamos a conhecer onde se situavam as Judiarias. A Grande Judiaria, entre a Rua da Prata e a Rua dos Fanqueiros. E a Pequena Judiaria que ficava entre a Igreja de São Nicolau e a Igreja da Madalena. O percurso termina exatamente nas escadinhas da Igreja de São Miguel, onde tiramos a foto de grupo, e que segundo o romance fica perto da casa onde morava o protagonista do livro. Aqui no Largo de São Miguel está prevista a construção do museu judaico, que entretanto tem as obras embargadas devido aos protestos dos moradores.

lisboa judaica massacre de 1506 judeus casa berequias zarco o ultimo cabalista de lisboa richard zimbre

No livro é feita referência a esta casa (pelo menos é essa a ideia com que ficamos, pela descrição do local e da casa), como sendo a casa do protagonista do livro, Berequias Zarco

A nossa guia, a Andreia Salvado é professora e investigadora e delineou este percurso inicialmente para explicar aos seus alunos os acontecimentos trágicos que tiveram inicio no local onde se inicia o passeio. Antes de começarmos é-nos entregue um mapa onde está assinalado todo o percurso que vamos fazer.

lisboa judaica massacre de 1506 judeus

Mapa com o percurso e as referências ao livro de Richard Zimler, “O último cabalista de Lisboa”

lisboa judaica massacre de 1506 judeus

Quem pode Participar?

Basicamente qualquer pessoa que tenha vontade de aprender e de passear, e que consiga fazer uma caminhada de 2 horas pelas ruas de Lisboa.

lisboa elevador de santa justa

É-nos feito um enquadramento histórico ao longo de todo o percurso, que inclui o trajeto narrado no livro pelo seu protagonista Berequias Zarco.

lisboa rua cruzes da sé

O que preciso para Participar?

  • Inscreverem-se no Passeio – Bem, primeiro que tudo é necessário reservar o lugar no passeio através do envio do e-mail, que deixo na caixa de informações do Guia Prático, no final do Post. (Indispensável)
  • Calçado e roupa confortáveis (Aconselhável)
  • Vontade de andar (Indispensável)
  • Boa Disposição (Aconselhável)
  • Garrafa de água (Aconselhável)
  • Chapéu (de sol no verão e de chuva no inverno) (Aconselhável)
  • Máquina Fotográfica (Aconselhável)

lisboa

Para Participarem só precisam mesmo de se inscreverem, tudo o resto que refiro são dicas que considero importantes para tornarem o vosso passeio mais agradável.

Espero que tenham gostado, Bons passeios e Até ao próximo Post.


Deixo-vos o GUIA PRÁTICO com todas as informações que precisam, caso queiram fazer o passeio. Já conheciam este episódio da nossa história? Contem-me tudo nos comentários.

Guia Prático:

Ponto de Encontro: Largo de São Domingos, junto à estrela de David. Em Lisboa. Portugal

Como Chegar: Metro – Estação Restauradores – linha azul

Passeio: “Conhecer a Lisboa Judaica”

Descrição do Passeio: Visita, Lisboa Judaica: baseia-se no romance de R. Zimler, o último cabalista de Lisboa. Num percurso de 2h, viaja-se pelas judiarias de Lisboa do século XV e recria-se o massacre de 1506.

Locais de interesse nesta visita: Largo da Igreja de S. Domingos, Rossio, Rua dos Douradores, Igreja de S. Nicolau, Rua da Judiaria, Igreja de S. Miguel.
Empresa: Oui Go Lisbon
Contacto: ouigolisbonvisits@gmail.com
Passeio Liderado Por: Andreia Salvado, 38 anos, professora e investigadora dinamiza desde 2012, visitas guiadas que aliam a História à Literatura, em Lisboa e Sintra.
Como fazer a marcação do passeio: Entrar em contacto com a empresa Oui Go Lisbon através do e-mail.
Preço: Contactem a Oui Go Lisbon através do e-mail para saberem preços e detalhes.

Seguir:

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: